As principais alterações propostas criam precedentes para a perda de diversidade da alimentação escolar, abrem as porteiras pra todo tipo de interesse do setor de alimentos, retiram de nutricionistas responsáveis e técnicos a prerrogativa de orientações referentes aos cardápios, e excluem a prioridade dada a comunidades tradicionais indígenas e de remanescentes de quilombos, na aquisição de alimentos.