Instituto Fome Zero

Campanha contra fome do IFZ documenta descalabro social brasileiro

A crise da fome no Brasil se agravou com a chegada da pandemia do coronavírus. De acordo com a Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan), em 2018 havia 10,3 milhões de brasileiros em insegurança alimentar. Em 2020, esse número saltou para 19 milhões.

Preocupado com essa triste realidade, o Instituto Fome Zero (IFZ) nasce com a perspectiva de apoiar as políticas de combate à fome e a todas as formas de má nutrição à mais alta entre as prioridades do Brasil e da comunidade internacional. E após quase um ano de fundação, o IFZ anuncia sua primeira campanha para arrecadação de recursos para ações de combate à fome de uma maneira inovadora: apoiando a cultura nacional.

Consciente de que um dos papeis da produção cultural é denunciar o descalabro social que o Brasil vive atualmente, o IFZ decidiu organizar um concurso literário no qual os interessados em apoiar a campanha contra a fome podem enviar crônicas que narrem o problema da fome agravado pela pandemia.
Para quem não tem interesse em escrever um texto, mas quer ver o projeto se tornar realidade, há também a possibilidade de participar da campanha apenas como doador. Todos os recursos gerados aqui serão integralmente encaminhados para ONGs que atuam diretamente na mitigação da fome no Brasil.

Todos os textos enviados por apoiadores irão integrar um e-book que servirá como documento para a posteridade. Depois de pronto, o arquivo digital será encaminhado diretamente aos apoiadores da campanha e, em seguida, disponibilizado gratuitamente pelo IFZ em seu site oficial.

Mas essa campanha passa por uma etapa especial: trinta dos textos presentes no e-book serão escolhidos para integrar uma coletânea a ser publicada em formato de livro impresso com design especial. Todos os exemplares serão doados às bibliotecas do país. A seleção fica por conta de um júri bastante relevante no cenário literário brasileiro: os escritores Frei Betto, Conceição Evaristo e Eleonora Lucena.

Para motivar ainda mais os escritores, temos mais uma surpresa: das trinta crônicas selecionadas para integrar o livro impresso, três receberão como prêmio R$ 1.500, R$ 1.000 e R$ 500, respectivamente. Os recursos para esse prêmio vêm de uma parceria do IFZ com o Instituto para Reforma das Relações entre Estado e Empresa (IREE), em apoio à iniciativa social e cultural.

Para saber como se participar da campanha contra a fome e inscrever sua crônica, acesse a página oficial do projeto no Catarse: https://www.catarse.me/cronicas_da_fome_concurso